O diário do Mirante Azul

Em lugar distante
Longe do tempo
Existe um olhar perdido
No horizonte.

Talvez seja a saudade
Por estar aqui
Ao observar o horizonte 
Neste local mágico
O meu mirante azul.

Que lembra saudade
E esperança de te reencontrar.

Ao longe o mar
Pintura no tempo
Um veleiro as gaivotas a voar
O vento e as ondas que se quebram.

São emoções que se misturam
Meus sentimentos e essa vista 
Que em desenho e escrita
São guardadas em meu diário.

Em algum lugar
Além do tempo
E do pensamento
No meu mirante azul.

A amizade sob a luz das estrelas

Quando sentir saudade
Volte aqui e comigo venha navegar
Por entre o mar e a linha do horizonte.

Sob a luz das estrelas
Pelo tempo que passa e a lembrança que fica.

A amizade é eterna
Essência de amor…

Então deixo um sorriso fácil
Uma amizade verdadeira
Guardada entre essas linhas.

Sou felicidade
Além do tempo
Sou poesia no amanhecer.

Sou o que sou coração sentir
Onde eu estiver
Eu sempre estarei com você.

Na amizade, terno amor
Eterno será…além das estrelas.

Rodrigo Marcs

Cartas para um Beija-Flor

Ao abrir os olhos

Me abraça a lembrança
Junto a janela a cama
Ao lado da cortina 
Por onde balança o vento.

Enfim desperto 

Nesse novo dia

Para o escritor é como 

Um novo rabisco 
Que ao final do dia 
Sempre vira poesia.

Das lembranças que vem no vento
Na chuva que molha o jardim.

Mas hoje queria ir além

Não falarei de sonhos
Mas de amizade.

Peguei uma carta 
Já velha esquecida na gaveta 
E me coloquei a rabiscar 
Deixar acontecer.

Colocando em sintonia
As batidas do coração 
E o pensamento que se transformam 

Em linhas douradas, azuis
Faíscas ao papel 
Que não pegam fogo
Mas marcam.

Escrevi uma carta ao amigo beija flor

Que certa vez passou em meu jardim
Queria saber por onde andas???

“Não vejo a sua delicadeza 

Nas flores do meu jardim
Talvez o tempo lhe tenha atingido 
Pequeno amigo, é culpa do tempo?
Espero que volte, depois da chuva do amanhecer 
Espero que volte amigo beija flor.”

Colo o envelope

Deixo tudo pronto
E de uma caixa tiro uma pequena ave
Um pombo, um mensageiro.

A pequena carta é amarada 
E no horizonte a ave é lançada
Em uma jornada até encontrar 
O meu amigo beija flor.

                                           
  
                                         Rodrigo Marcs

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora